Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Financiar envolve passos como planejamento, escolha do imóvel e entrega de documentação. Veja aqui um passo a passo completo para não errar.

10 passos essenciais de como financiar um imóvel [+ dica extra]

Financiar envolve passos como planejamento, escolha do imóvel e entrega de documentação. Veja aqui um passo a passo completo para não errar.
Publicado em 22/06/2023
Leia em 7 minutos
Allan Almeida

Índice

O que lhe impede de conseguir morar na casa própria hoje? É o acesso a crédito? É a escolha do imóvel? Se você não sabe muito bem como fazer esse tipo de operação, vale a pena saber como financiar um imóvel ainda esse ano e realizar seus sonhos.

Basicamente, o financiamento imobiliário é uma modalidade de empréstimo em que você solicita o dinheiro para pagar por um imóvel. Nesse processo, o valor do crédito é todo voltado para a compra e você tem um prazo que pode chegar a 35 anos para quitar.

Com uma série de vantagens e até mesmo algumas desvantagens, o financiamento permite antecipar sonhos e aumentar o capital próprio. Mas, como fazer um crédito à habitação? Quais são os passos essenciais?

Encontre as respostas para essas e outras perguntas sobre o tema em mais um conteúdo exclusivo aqui da SejaBest e aprenda como financiar seu ‘lar doce lar’. E, se vale uma sugestão, fique com a gente até o final, pois separamos uma dica extra para ajudar!

Para quem o financiamento imobiliário é indicado?

O financiamento imobiliário se destina tanto para quem quer sair do aluguel quanto para quem quer aumentar o patrimônio ou deixar a casa dos pais. Assim, uma pessoa com um bom planejamento pode conseguir acesso a esse crédito e morar sozinho.

Nesse sentido, a recomendação que damos é que você ajuste o seu momento de vida com a realização do empréstimo. Afinal, trata-se de um crédito com prazo longo, em que você se compromete por muito tempo com a amortização, juros, tarifas e seguros.

Como financiar um imóvel no momento certo?

O tal momento certo para financiar um imóvel, como acabamos de mencionar, depende de uma série de questões. Além de considerar suas condições de pagamento e o planejamento anterior ao financiamento, vale ressaltar que a situação econômica do país também influencia nessa hora.

Em suma, o financiamento imobiliário funciona como uma chance de antecipar a entrada na casa própria. Mas, esse facilitador não pode ser adquirido sem considerar condições como:

  • Preço dos imóveis no atual mercado;
  • Quais são as taxas de juros atreladas a cada tipo de crédito imobiliário.
  • Qual o índice econômico associado aos juros do financiamento: poupança, IPCA ou TR. E como esses números estão se comportando no momento.

De forma geral, quando a taxa de juros básica do país (Taxa Selic) está mais elevada, os financiamentos costumam ficar mais caros. Isso porque, os tributos cobrados acompanham a Selic. Quando esse índice diminui, a contratação melhora.

No entanto, aqui vale um adendo: mesmo em tempos com juros básicos mais elevados, como ocorre atualmente, é possível conseguir bons créditos. Por isso que o planejamento é fundamental, afinal, garante que você consiga aproveitar uma chance no mercado como a diminuição no preço dos imóveis.

Vantagens e desvantagens de fazer crédito para compra de imóvel

Existem uma série de pontos positivos e negativos na hora de se decidir por financiar um imóvel como opção para ter uma residência própria. Para facilitar essa conversa, dividimos por tópicos bem específicos quais são as vantagens e desvantagens associadas a esse serviço bancário, confira:

Pontos positivos do financiamento de imóvel novo

O financiamento imobiliário permite a compra de algum imóvel residencial, seja para morar ou para disponibilizar à locação. Independente disso, um de seus pontos positivos é o aumento do patrimônio.

Porém, as vantagens não param por aí. Afinal, esse tipo de crédito também tem outros benefícios como:

  • Taxas de juros menores do que outros tipos de empréstimo;
  • Permite usufruir do bem enquanto está quitando as prestações, ou seja, você pode morar ou alugar o imóvel durante o financiamento;
  • Ser o dono do imóvel permite fazer mais personalizações nele, ao contrário do que ocorre quando se paga aluguel;
  • As prestações do contrato podem ser menores do que o valor mensal de um aluguel;
  • É possível liquidar o crédito antes do final do prazo por meio do uso do FGTS ou de amortizações próprias;
  • Você pode compor renda com outras pessoas para comprovar capacidade de pagamento e, assim, aprovar o financiamento mais rapidamente.

Pontos negativos

Além dos pontos positivos que destacamos acima, financiar um imóvel também possui duas desvantagens, como você confere agora:

  • Comprometimento de longo prazo: mesmo que o tempo de até 35 anos para quitar o crédito seja uma vantagem, também pode ser um ponto negativo. Pois, caso não tenha o planejamento adequado, sua renda e condição de pagamento podem mudar muito nesse tempo.
  • O custo total, quando somamos o valor usado para a compra do imóvel, taxas de juros e outras tarifas e impostos, pode ser bem elevado.

Como financiar um imóvel: 10 etapas para acertar no processo

Ainda que o crédito imobiliário possua alguns pontos contrários que devem ser considerados, é um tipo de operação que vale a pena. Principalmente para quem não tem todo o dinheiro disponível para a compra à vista do imóvel e precisa de um cantinho só seu.

Pensando nisso, queremos lhe mostrar com detalhes como você pode financiar um imóvel. Veja todas as etapas do financiamento imobiliário a seguir:

1- Planejar a compra

Sem dúvida, a primeira coisa que você precisa ter em mente quando quiser ter uma casa para chamar de sua é: tenha um bom planejamento financeiro para isso.

Na prática, isso significa que, antes de ir até um banco ou fazer uma simulação online, você deve se preparar para:

  • Pagar o valor de entrada: que geralmente é de 20% a 30% do valor do imóvel;
  • Pagar taxas, tarifas e impostos obrigatórios (como o ITBI, por exemplo), que não estão inclusos no crédito de todos os bancos;
  • Estar sempre em dia com as prestações.

Ademais, ter uma reserva financeira para usar em emergências é uma segurança a mais. Ao reservar o valor de pelo menos 6 meses do seu custo de vida e deixá-lo guardado em um investimento com liquidez alta, você tem uma garantia caso perca sua principal fonte de renda para amortizar o crédito.

2- Escolher o imóvel

Dentro do planejamento de como financiar um imóvel, você também pode incluir a escolha do mesmo. Assim, já terá uma ideia de quanto precisa para dar de entrada no crédito.

Para definir qual imóvel comprar, considere fatores como:

  1. Localização, se está perto do trabalho ou se é seguro, por exemplo;
  2. Infraestrutura ao redor: escolas, serviços públicos, transporte, qualidade das vias, mercados, shoppings, entre outros;
  3. Tipo: casa ou apartamento, novo ou usado, com quintal ou sem, etc.;
  4. Tamanho: quantidade de quartos e banheiros, espaço de cada cômodo, existência de despensa, espaço para escritório e outros ambientes que são essenciais para você.

3- Simular crédito em diferentes instituições

A partir das duas etapas anteriores, você pode começar a simular crédito em diferentes instituições. Aliás, essa é uma dica importante: sempre faça uma simulação de financiamento em mais de um banco, assim, você pode escolher o que lhe oferecer as melhores taxas.

Basicamente, nessa etapa, você pode contar com a ajuda de simuladores como o da SejaBest. Inclua os dados gerais do financiamento e aguarde até que um assessor entre em contato para lhe ajudar.

4- Reunir e entregar a documentação

Falando em ajuda, a etapa de entrega da documentação do financiamento imobiliário é uma das que mais costuma dar problema. Por isso, já tenha em mãos as cópias dos seus documentos pessoais (CPF, RG ou CNH), um comprovante de residência atual, comprovante de estado civil e declaração do último imposto de renda.

Além disso, você vai precisar comprovar renda. Esta, pode ser composta por várias pessoas, sendo amigos ou familiares e as condições mudam um pouco de banco para banco. Então, primeiro consulte a instituição a respeito disso.

Para concluir essa parte, será necessário apresentar os dados do imóvel como matrícula na prefeitura e certificado de quitação do IPTU.

5- Aguardar a análise de crédito

Financiar um imóvel envolve alguns passos práticos e outros em que você precisa aguardar, como é o caso da análise de crédito. Nesse ponto, a instituição escolhida nas etapas anteriores vai analisar todos os documentos entregues.

Depois que ela finalizar esse processo, você recebe uma resposta se está ou não apto para dar continuidade no crédito.

É exatamente aqui que o banco vai entender se você tem capacidade para pagar as prestações, qual a sua situação financeira, se está com o nome limpo, entre outras informações.

6- Fazer a avaliação da situação do imóvel

Outra etapa obrigatória ao financiar um imóvel é a parte que avalia como está a propriedade. Ou seja, que vistoria a propriedade que você quer comprar e determina o valor de mercado da mesma.

Aqui, o banco envia uma empresa especializada nesse tipo de situação para verificar o estado do bem.

7- Concluir a análise jurídica

A análise jurídica é a última parte das avaliações feitas pela instituição. Em síntese, a futura credora verifica se o imóvel pretendido possui pendências jurídicas.

Essas pendências podem ser ausência de matrícula, falta de pagamento do IPTU e dívidas de financiamentos anteriores, por exemplo.

Nos imóveis novos ou que estão em fase de construção, essa etapa costuma ser mais ágil pois as construtoras já enviam boa parte da documentação.

Agora, para imóveis usados, você precisa ter uma atenção especial. Afinal, a chance de ter alguma questão a ser resolvida é maior.

8- Conhecer todas as condições de contratação

Finalizada a parte de avaliações, o financiamento imobiliário entra nos seus passos derradeiros. Assim, o banco vai lhe entregar uma proposta para financiar o imóvel que contém informações como:

  • Valor do crédito;
  • Tributos;
  • Taxas de juros;
  • Seguros obrigatórios;
  • Tarifas administrativas;
  • Prazo;
  • Custo Efetivo Total.

Nesse momento você também pode direcionar qual o sistema de amortização prefere (SAC ou PRICE) e o indicador econômico associado à taxa de juros.

9- Assinar o contrato

Com as pendências contratuais resolvidas, você e a credora assinam o contrato que concede o crédito à habitação. Essa parte pode ser feita tanto online quanto em uma agência física. As condições variam conforme o tipo de trabalho do banco.

10- Registrar a operação em cartório

Por fim, você precisa fazer o registro da operação em um cartório de imóveis. Isso é necessário pois durante o período em que o contrato estiver em vigor, o bem fica alienado ao banco, como uma forma de garantia. Assim que terminar de pagar as prestações, uma nova escritura será feita, dessa vez sem a alienação.

Aqui, vale lembrar que você tem a posse do imóvel durante todo o período e pode usufruir dele.

Com tudo pronto, o dinheiro é liberado e o banco faz o pagamento da propriedade. Ao fazer isso, você começa a pagar pelas prestações e realiza o sonho de morar na casa própria.

Dica extra na hora de financiar um imóvel

Lembra que na introdução comentamos que você teria acesso a uma dica extra de como financiar um imóvel? Pois então, aqui vai:

Existem duas maneiras de iniciar o processo de crédito à habitação: sozinho ou com a ajuda de uma equipe especializada. Ao escolher fazer tudo por conta, é você quem precisa acompanhar de perto todas as etapas e saber exatamente como proceder.

No entanto, com o apoio de uma assessoria que sabe tudo sobre financiamentos como a da SejaBest, todos os passos ficam muito mais fáceis.

Certo, mas esse serviço vai adicionar algum custo no financiamento? Como bem explica o CEO da empresa no vídeo logo abaixo, a assessoria não tem custo. Assim, você pode aproveitar essa vantagem incrível e ter mais tempo para cuidar de outras tarefas importantes para a sua vida.

Outras matérias para você:

Compartilhe este artigo

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.