Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Open Banking é desafio para data centers

Open Banking acelera mudanças em instituições financeiras

O Open Banking está inovando o setor financeiro no Brasil e no mundo. O grande desafio será gerenciar múltiplos Data Centers
Publicado em 27/05/2022
Leia em 2 minutos
Allan Almeida

Índice

O Open Banking está revolucionando o setor financeiro e muitas mudanças estão acontecendo, principalmente, em relação aos Data Centers.

Cada instituição financeira possui um modelo de Nuvem sob medida para seus negócios. Anteriormente, grandes bancos, corretoras e seguradoras contavam com centros de dados próprios (Nuvem privada) e agora estão migrando para o modelo de Nuvem híbrida.

Por outro lado, fintechs e insurtechs já nascem na nuvem, sendo assim suas infraestruturas digitais podem ser ampliadas de modo flexível, contratando mais carga de processamento conforme avançam os negócios.

A computação em Nuvem é marcada pela fluidez e aplicações de um Data Center para outro. Desse modo, destaca-se por ser totalmente customizável.

No Open Banking, isso está levando o gestor dos Data Centers/Nuvens (privadas, híbridas ou públicas) a desenhar uma solução de infraestrutura sob medida para seus diferentes negócios.

A chegada do 5G ao Brasil é um salto na aceleração da economia digital. Com isso, o gestor do Data Center do setor financeiro precisa modernizar simultaneamente os data centers principais e as estruturas de Edge Computing.

Isto é, a inovação vai desde a fase de projeto até a implementação de soluções de energia e ar-condicionado, gerenciando todo esse universo com a ajuda de plataformas de software baseadas em Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML).

Open Banking: o desafio de gerenciar múltiplos Data Centers

Desde a menor fintech ao maior banco, o desafio é manter o data center operando 24×7, sendo necessário ter uma visão preditiva de futuras falhas e downtimes.

A automação é a única forma do gestor ter visibilidade e controle da infraestrutura, usando serviços de monitoramento para gerenciar a performance do Data Center.

Se, por exemplo, faltar energia elétrica por qualquer motivo, é essencial contar com sistemas UPS capazes de fornecer energia de qualidade para os equipamentos mais críticos da operação.

Outra causa de downtime que pode ser evitada são as condições ambientais dentro do data center. Os equipamentos adicionais necessários para suportar a explosão de dados trazida pelo Open Banking pode fazer com que as temperaturas do data center aumentem, causando a interrupção de serviços.

Sendo assim, são necessários sistemas de ar-condicionado de precisão para controlar as condições da sala e evitar que falhas aconteçam. Tanto no caso de sistemas de energia como de ar-condicionado, é essencial escolher soluções sustentáveis e que otimizem o consumo de recursos.

Num momento em que o mercado brasileiro de data centers está se expandindo e recursos são limitados, são necessários profissionais treinados e certificados nas práticas de gestão de data center, a fim de entregar serviços que possam suportar a infraestrutura crítica da organização.

Todos esses elementos configuram um quadro desafiador. De um lado, o imenso volume de dados que será processado pelos milhares de integrantes do Open Banking brasileiro; do outro lado, orçamentos controlados e reduzidas equipes de data centers chamadas a entregar cada vez mais serviços críticos.

Outras matérias para você:

Compartilhe este artigo

Quero comprar

um imóvel.

Quero empréstimo
usando meu imóvel.